Sex, 13 de Julho de 2018
Rua Delfino Facchina, 61 (Cidade Ademar) - Americanópolis - São Paulo/SP - CEP 04409-080
Renuniões Públicas
Tarde 2ª, 3ª, 4ª, 6ª e Sábado: das 14hs30 às 16hs00
Noite 2ª, 3ª, 4ª, 5ª e 6ª das 20hs30 às 21hs30 
Renuniões Públicas
Tarde 2ª, 3ª, 4ª, 6ª e Sábado: das 14hs30 às 16hs00
Noite 2ª, 3ª, 4ª, 5ª e 6ª das 20hs30 às 21hs30 

Evangelho

O Mestre da Vida - Augusto Cury





Atualizado: 12/07/18
VOLUME 3

O Mestre da Vida – Augusto Cury
Cap. 1 - As causas sociais do julgamento
202 - Retirando a pedra 

Há uma consideração a fazer nessa passagem. Jesus realizou um dos maiores milagres da história. Contudo, antes de fazê-lo, pediu que os homens retirassem a pedra da tumba.
Se tinha poder para ressuscitar alguém, por que não usou esse poder para remover a pedra? Porque é necessário primeiro tirar a pedra do nosso medo, da nossa insegurança e do nosso desespero para que Jesus possa intervir.

Sem a fé do ser humano, sem a sua cooperação, Jesus Cristo raramente age. Para ele, o maior milagre não é a cura sobrenatural de um corpo doente, mas a superação do medo, da infelicidade e da ansiedade de uma alma doente.

Por vontade do mestre de Nazaré, seu amigo Lázaro saiu do caos cerebral para a plena sanidade. A partir daí a fama de Jesus, que já era enorme, tornou-se irrefreável. Os líderes judeus, que haviam tentado matá-lo sem êxito, procuravam em vão conter a admiração que ele suscitava.

Desanimados, diziam uns para os outros: “Vede, nada conseguis. Todos vão atrás dele!” (João, 12:19). Ou os líderes judeus o eliminavam ou se rendiam a ele.

Estudos dos Evangelhos

O evangelho segundo o espiritismo.