Sex, 13 de Julho de 2018
Rua Delfino Facchina, 61 (Cidade Ademar) - Americanópolis - São Paulo/SP - CEP 04409-080
Renuniões Públicas
Tarde 2ª, 3ª, 4ª, 6ª e Sábado: das 14hs30 às 16hs00
Noite 2ª, 3ª, 4ª, 5ª e 6ª das 20hs30 às 21hs30 
Renuniões Públicas
Tarde 2ª, 3ª, 4ª, 6ª e Sábado: das 14hs30 às 16hs00
Noite 2ª, 3ª, 4ª, 5ª e 6ª das 20hs30 às 21hs30 

Livro dos Espíritos

Miramez comenta as questões




Atualizado: 12/07/2018

38. O ESTADO DA ALMA
0191/LE 

O estado da alma em suas primeiras vestimentas materiais é rudimentar, pelos rudimentos de vida que se apresentam no Espírito ainda em sono. Entretanto, mesmo naquele estado primitivo, a sua natureza tem valores imortais que o porvir irá conhecer como semelhantes aos dos Espíritos Superiores.

DEUS, O Supremo Camartelo, criou a vida em todas as suas seqüências, vida esta que obedecerá às leis criadas por Ele mesmo inconsciente, e quando a lucidez se fizer presente pela regência do tempo, ela entrará na corrente do progresso, com o esforço próprio, de maneira a acelerar o despertamento do Espírito como sendo a sua conquista, no que lhe toca fazer. As próprias paixões representam um desenvolvimento da alma, não a perfeição, a qual virá depois, pelo conhecimento e prática do amor.

As tribos indígenas nem sempre são compostas de almas primitivas; existem muitos índios que ali vieram como provações, e nesse estágio de provas acabam ensinando muita coisa aos outros, que desconhecem o princípio de muitas leis naturais. Há grandes Espíritos, intelectualmente falando, que ingressam nesses meios para aprenderem a simplicidade, abrindo os olhos para a natureza e bebendo dela a luz da paciência, porque na posição em que antes se encontravam, se achavam cegos pelo orgulho e pela vaidade.

Quantos deles não foram, por bênção de Deus, ressurgir nas tribos africanas para eles uma degradação biológica, racial e social no sentido de quebrar a prepotência, amenizar o ódio e entrar no aprendizado da humildade? Quando os navios negreiros trouxeram da África para o Brasil milhares e milhares de negros, muitos dos quais vieram juntos, e muitos deles eram antigos patrícios romanos, que se degradaram pela luxúria e maldade. Vieram, ou voltaram, como escravos onde o chicote e a masmorra eram a escola da tala para a pele e do engenho para os sentimentos. Era, realmente, correção, que ocorreu na Terra e o tempo conhecia aqueles negros que antes foram senhores implacáveis.

Muitos deles melhoraram, adotando os princípios de humildade e obediência, tornando-se úteis em todos os trabalhos caseiros, uns, na figura das mães pretas como amas de muitas utilidades na criação dos filhos dos seus senhores; outros, como conhecedores de ervas, como curandeiros de fama, que curavam os próprios carrascos e familiares quando adoeciam. Já se destacavam naquela época os negros inteligentes, ainda que sem qualquer tipo de instrução. Muitos eram filhos de escravas com senhores de engenho, para terem melhores oportunidades de aprender e, daí ajudar, na libertação da raça. Se regrediram material, social ou intelectualmente, tal não ocorreu espiritualmente.

A vida registra tudo que fazemos em todos os ângulos dela, sem perder um til que seja. Tudo no mundo é aproveitado para o grande bem da coletividade. Deus é Deus de bondade e de amor e, no grande empenho de ajudar a todos, usa os recursos que acha mais conveniente. O Espírito é viajor da eternidade, que passa de país para país, de mundo a mundo, buscando novos entendimentos e acendendo novas luzes no coração.

O Livro dos Espíritos